Recortes de Imprensa

  • 24.02.2011
    Reconquista
    Exposição "Viva a República" passou por Oleiros

    A exposição itinerante "Viva a República!... em digressão" esteve em Oleiros, nos dias 17, 18 e 19 de Fevereiro.

    A mostra esteve patente, em frente ao edifício dos Paços do Concelho, e permitiu aos visitantes acompanhar o percurso de evolução do ideário republicano, o processo de implantação da República e os principais contextos e transformações a que esteve associada.

    As 331 crianças de Oleiros que visitaram a exposição durante aqueles dias, assim como a comunidade em geral, foram acompanhados por uma equipa de mediação e tiveram à sua disposição quer materiais, quer suportes pedagógicos e de divulgação.

  • 24.02.2011
    Rádio Renascença
    Como seria ser criança há 100 anos?

    Ainda a propósito do centenário da implantação da República, a Comissão criou um site onde se põe a pergunta: como seria ser criança há 100 anos? Aqui fica a saber como se estudava, como se brincava, quais as canções e lengalengas, entre outras curiosidades.

    Veja em http://criancas.centenariorepublica.pt.

  • 23.02.2011
    www.portaldasescolas.pt
    República das Crianças

    criancas470x235
    Com o objectivo de mostrar aos mais novos como era ser criança há 100 anos atrás, mais precisamente no tempo da I República, a Comissão Nacional para as Comemorações do Centenário da República (CNCCR) acaba de lançar o sítio Web República das Crianças.
    Concebido e elaborado pela CNCCR, este sítio dá a conhecer diversos aspectos da vida quotidiana das crianças no tempo da I República, salientando-se, entre outros, assuntos alusivos ao ensino (tais como aulas e manuais), brinquedos e brincadeiras, histórias e adivinhas, banda desenhada, pequenos filmes do início do século XX (por ex., o Raid Aéreo Lisboa - Rio de Janeiro ou uma Corrida de Automóveis) e músicas da época, além de uma secção sobre os Direitos da Criança, que divulga a legislação de Protecção à infância aprovada pouco tempo depois da implantação da República.

    O sítio República das Crianças pode ser visitado em http://crianças.centenariorepublica.pt.
    Está também disponível na exposição Educar. Educação para Todos. Ensino na I República.

    Para todas as informações, consultar o sítio da Comissão Nacional para as Comemorações do Centenário da República

  • 22.02.2011
    APEL
    República das Crianças

    A Comissão Nacional para as Comemorações do Centenário da República acaba de lançar o sítio Web República das Crianças disponível em http://criancas.centenariorepublica.pt.

    O objectivo é mostrar aos mais novos como era ser criança há 100 anos atrás, mais precisamente no tempo da I República.

    São abordados aspectos como o ensino, as brincadeiras, a imprensa, a banda desenhada, as histórias, a música e muito mais

    Este sítio foi concebido e elaborado pela CNCCR e encontra-se também disponível na exposição EDUCAR. EDUCAÇÃO PARA TODOS. ENSINO NA I REPÚBLICA.

  • 22.02.2011
    Diário As Beiras
    Oliveira dedica a palestra a Fernando Vale

    fernandovale
    A palestra "Fernando Vale, Republicano e Combatente" decorre amanhã, às 14H30, no Auditório do Crédito Agrícola, em Oliveira do Hospital, numa iniciativa da autarquia local.

    Trata-se da primeira palestra do ano integrada no Ciclo "O Centenário da República" e será apresentada por Mariana Lagarto Santos, doutoranda da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra e colaboradora de investigação do Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX (CE1S20).

    Esta primeira palestra tem como principal objetivo dar a conhecer o republicano Fernando Vale e promover uma discussão sobre a sua personalidade na sociedade republicana.

    Na agenda do Ciclo de Palestras "O Centenário da República", estão planeadas duas novas sessões, ainda em datas a confirmar, para destacar outras duas figuras republicanas: Norton de Sousa Matos e Aristides de Sousa Mendes.

    As atividades evocativas do centenário integram a exposição itinerante "Viva a República!... Em Digressão", que estará em Oliveira do Hospital entre os dias 1 e 3 de março.

  • 22.02.2011
    Diário de Coimbra
    "Viva a República" na Praça Simões Dias

    As comemorações do centenário da implantação da República continuam em Arganil, desta feita com a presença da exposição "Viva a República", uma iniciativa que tem vindo a desenvolver um périplo por vários concelhos do país.

    Sábado chega a Arganil e instala-se na Praça Simões Dias, onde vai permanecer até ao dia 28.

    A mostra, promovida pela Comissão Nacional para as Comemorações do Centenário da República, recorre às novas tecnologias da comunicação, permitindo uma interacção com vários documentos, que ilustram um período da História de Portugal que vai desde os finais do séc. XIX, com a revolta de 31 de Janeiro de 1891, e que se prolonga até ao início da Primeira Guerra Mundial.

    Uma exposição «a não perder», sublinha a Câmara de Arganil, considerando que se trata de uma «lição de História de Portugal» dirigida a «todos os grupos etários, desde os mais novos aos mais velhos».

    A exposição vai ficar em Arganil desde o dia 26 ao dia 28.

  • 22.02.2011
    Time Out
    Voltar à escola de há cem anos

    timeouteducar
    Catarina Mendonça Ferreira foi conhecer como era a escola no tempo dos seus avós na exposição sobre o ensino na I República que inaugurou no Palácio Valadares, antiga escola Veiga Beirão.

    Num país onde a taxa de analfabetismo rondava os 80%, a educação foi um dos aspectos a que a I República se atirou de unhas e dentes desde 1910. Isso é coisa que se percebe assim que se entra na exposição “Educar. Educação para todos. Ensino na I República” que inaugurou no Palácio Valadares, e se dá de caras com uma frase do pedagogo César da Silva: “O mais imperioso dever do Estado é instruir, porque instruir é enriquecer e dar felicidade.”

    Depois de duas mostras – uma dedicada às viagens e turismo e a outra à medicina durante a I República –, a Comissão Nacional para as Comemorações do Centenário da República, continua o programa de festas com mais uma exposição, desta feita ligada ao tema da educação.

    Na antiga Escola Veiga Beirão reconstituíram-se várias salas de aula, uma biblioteca e muitos outros espaços onde o visitante pode acompanhar o papel desempenhado pelo ideal educativo republicano, a sua dimensão e o impacto que teve até aos dias de hoje. “Apesar de ter um cunho de modernidade, este ideal educativo republicano, que se apoiava em seis pilares (cidadania, laicização, alfabetização, democratização, escolarização e descentralização), manteve uma certa continuidade do regime monárquico”, explica Maria Cândida Proença, comissária da exposição.

    Se hoje se luta para estender o ensino obrigatório até ao 12º ano, nesta altura uma das primeiras vitórias da República foi tornar o ensino primário obrigatório.

    A Cartilha Maternal era a bíblia deste ideal educativo republicano e é um dos muitos objectos que se pode ver nesta mostra. Algumas das frases reproduzidas nas paredes deixam perceber a forma como se escrevia na altura. Há exemplos curiosos como a seguinte frase: “vai lá pedil-o”.

    Numa das paredes está reproduzido um cabide onde se prendiam sacolas, batas e sapatos na escola. “Em 1910, muitos dos alunos nem usavam sapatos, eram--lhes emprestados só para os dias de exame”, conta a comissária.

    Na sala seguinte faz-se a vénia a muitos dos pedagogos que desempenharam papéis importantes neste país. Pode ouvir--se Bernardino Machado, João de Deus Ramos e João de Barros, entre outros, na voz de actores como Manuel Wiborg e Pedro Gil.

    Numa outra sala, conhecem-se os heróis das histórias que figuravam nos livros da República, altura em que se dizia que a “moral é feita por imitação”. Bons exemplos a seguir eram Afonso Albuquerque, Vasco da Gama, Rafael Bordalo Pinheiro e Marquês de Pombal, que, por acaso, foi figura unânime fosse qual fosse o regime em vigor.

    Uma das salas mais apelativas da exposição é a que reconstitui o ambiente de uma sala de aula de há 100 anos. Carteiras, cadeiras e quadro de ardósia vieram de uma escola de Válega, em Ovar. Com as secretárias que subiam e desciam – ergonómicas já na altura – vieram também outros objectos: um ábaco, tinteiros e, imagine-se, algo que não podia faltar numa sala de aula, um escarrador. Na parede lateral estão vários cartazes do corpo humano, de insectos e outros animais. Por cima da secretária do professor é projectado um vídeo da Cinemateca que mostra o quotidiano de um colégio interno daquela altura.

    Se toda a exposição olha para o passado da educação em Portugal, toda a tecnologia ali presente pertence ao futuro. Há ecrãs tácteis, vídeos e sons que evocam outras épocas. Tudo coisas que fazem reflectir e ter esperança no futuro da educação em Portugal.

    A exposição está no Palácio Valadares (Lg do Carmo) até 30 de Junho. Segunda a domingo, das 10.00 às 18.00. A entrada é livre.

  • 22.02.2011
    Diário As Beiras
    Espreitar o mundo infantil de há 100 anos

    criancas72dpi

    É também para os mais pequenos que se faz uma parte importante do programa evocativo do centenário da República Portuguesa. Uma das formas mais apelativas – porque alia as novas tecnologias da informação à arte intemporal da animação – surge no projeto “Como era ser criança há 100 anos?”, uma iniciativa da República das Crianças, da Comissão Nacional para as Comemorações do Centenário da República.

    Por lá – no sítio http://criancas.centenariorepublica.pt – o Quim e o Manecas, heróis de banda desenhada criados em 1915 por Stuart de Carvalhais, um dos mais admiráveis ilustradores portugueses, dão a conhecer com pormenores surpreendentes como era ser criança há 100 anos: como eram os brinquedos, por que livros se estudava, como se entretinham os mais novos…

    E, claro, as surpresas não irão fazer-se esperar. Entre canções e brincadeiras de há 100 anos, tempo ainda para advinhas, histórias e lenga-lengas.

    De acordo com informação da comissão nacional, o sítio pretende dar a conhecer como era ser criança no tempo da I República e mostra não só o ambiente nas escolas e os manuais de há 100 anos, como muitos outros aspetos da vida quotidiana.

    Entre as inúmeras possibilidades, que se aconselham a todos, miúdos e graúdos, a cinemateca, com pequenos filmes do início do século XX, quando o cinema dava os primeiros passos, e ainda uma fonoteca, onde ser podem ouvir e conhecer as pautas das músicas da época. Mas também é possível saber como construir os brinquedos com que todos brincavam: o bufa-gatos, as gaitas, o pára-quedas e o carriço…

    No quiosque é possível ler as revistas de há 100 anos (ABCzinho, PimPamPum, Gafanhoto e O Pintainho) e conhecer a BD (com destaque para Quim e Manecas de Stuart). Na biblioteca digital não faltam advinhas, lenga-lengas e histórias, muitas histórias para todos.

     

  • 18.02.2011
    www.portaldasescolas.pt
    Exposição Educar. Educação para Todos. Ensino na I República.

    logocnccr72
    Organizada pela Comissão Nacional para as Comemorações do Centenário da República com o apoio da Parque Escolar, decorre em Lisboa, no Palácio Valadares (Largo do Carmo), de 17 de Fevereiro a 30 de Junho, a Exposição Educar. Educação para todos. Ensino na I República.

    Pretende-se, com esta Exposição, dar a conhecer a importância da obra republicana no ensino, com particular relevo para o alcance e características das inovações introduzidas. Dirigida a um público vasto e diversificado, a Exposição está organizada de modo a proporcionar actividades distintas para o público escolar e para o público em geral.

    Ao longo do percurso da Exposição, que se estende por onze salas, os visitantes dispõem de espaços multimédia e de alguns equipamentos que permitem estabelecer a interactividade, especialmente com o público escolar.

    Com entrada livre, a Exposição pode ser visitada diariamente, das 10h às 18h.
    Para mais informações, aceder ao sítio do Centenário da República.

  • 17.02.2011
    A Comarca de Arganil
    VILA NOVA DE POIARES "Viva a República!... em digressão"

    itinerantearganil
    A exposição "Viva a República!... em digressão", esteve em Vila Nova de Poiares, no Terminal Rodoviário.

    Foi um verdadeiro sucesso, a julgar pela excelente adesão, nomeadamente da comunidade educativa, cujos alunos, organizados em grupos, visitaram a iniciativa durante os três dias em que a exposição esteve patente ao público.

    Miúdos e graúdos, pais e filhos, avós e netos, todos eram convidados a acompanhar o percurso de evolução do ideário republicano, bem como do processo de implantação da República e dos principais contextos e transformações que ela estiveram associados.

    Constituída por uma viatura adaptada, a exposição era ainda complementada com duas ten- das de apoio, onde todos puderam assistir não só a filmes sobre a temática, como a uma visita guiada a toda a exposição, com acesso a vários materiais e suportes pedagógicos.

    A exposição "Viva a República!... em digressão" é uma iniciativa da Comissão para as Comemorações do Centenário da República, à qual o Município de Vila Nova de Poiares se associou desde a primeira hora, considerando que se trata de um excelente veículo de informação e divulgação de um dos períodos mais marcantes da história recente de Portugal.