João Pinheiro Chagas

João Pinheiro Chagas Nasceu no Rio de Janeiro no dia 11 de Setembro de 1863. Aderiu ao Partido Republicano Português na sequência do Ultimato e a partir de então tornou-se um dos mais violentos jornalistas no ataque às instituições monárquicas.

Em 1891, foi acusado de cumplicidade na Revolução do 31 de Janeiro e desterrado para Angola. Conseguiu fugir para Portugal mas foi descoberto, capturado e reconduzido ao degredo.

Em 1893 beneficiou de uma amnistia tendo ido viver para o Porto. Continuou a sua luta como jornalista político e participou em todas as tentativas para abolir a monarquia.

Foi um dos elementos mais activos na preparação do 5 de Outubro, tornando-se um dos responsáveis pelo êxito da revolução. Com a República já instaurada foi nomeado Ministro (embaixador) em Paris, cargo do qual acabou por se demitir por discordar do modelo político seguido pelos governantes.

Em 1911 chefiou o 1º Governo Constitucional (Primeiro-Ministro) entre 3 de Setembro e 12 de Novembro. Em 1915, quando se preparava para chefiar outro governo, foi alvo de um atentado a tiro no Entroncamento, no qual perdeu um olho. Regressou então a Paris mas suspendeu as suas funções durante o Sidonismo. Defendeu também a participação de Portugal na I Guerra Mundial e foi membro da delegação portuguesa à Conferência de Paz de Versalhes e à Sociedade das Nações.

Morreu no Estoril a 28 de Maio de 1925.

Autoria: Plano Nacional de Leitura