Alfredo Ernesto de Sá Cardoso

Alfredo Ernesto de Sá Cardoso nasceu em Lisboa a 6 de Junho de 1864. Após os primeiros estudos ingressou no Colégio Militar e depois na Escola do Exército onde fez o curso de Artilharia. Assentou praça em 1880, prosseguiu a carreira de oficial do exército, tendo chegado a General.

Foi mobilizado para a campanha de Luanda e, em 1888, assumiu a secretaria do Governo Distrital de Angola.

Filiado no Partido Republicano Português (PRP) conspirou activamente no derrube da monarquia, participando nos acontecimentos de 31 de Janeiro de 1890 e de 28 de Janeiro de 1908.

Alfredo Sá Cardoso aderiu à Maçonaria em 1893, foi membro da Loja Portugal, tendo chegado a fazer parte do seu Supremo Conselho.
Integrou o comité militar para a proclamação da República e foi um dos comandantes militares da revolução de 5 de Outubro de 1910.

Com o triunfo republicano, passou a chefe de gabinete do Ministro de Guerra, general Correia Barreto, e em 1913 foi nomeado Governador Civil do Distrito Autónomo do Funchal.

Integrando o grupo Jovens Turcos da República, de que foi fundador, chefiou o movimento de 14 de Maio de 1915, contra a ditadura de Pimenta de Castro.

Fez parte da resistência contra a revolta sidonista de 5 de Dezembro de 1917, tendo sido preso em 1918. Em 1919, fiel à sua índole republicana, participou na ofensiva contra a Monarquia do Norte. Em Junho desse mesmo ano assumiu a presidência do governo, acumulando as pastas do Interior e dos Negócios Estrangeiros até 1920. Voltou a ser Ministro do Interior entre 18 de Dezembro de 1923 e 6 de Julho de 1924.

Em 1926, com a Ditadura Militar instaurada em Portugal, Sá Cardoso foi preso e deportado, primeiro para Cabo Verde e depois para os Açores.

Voltou a Portugal em 1934, ano em que fundou a Aliança Republicana mas, no mesmo ano, passou à reforma.

O Capitão Sá Cardoso morreu em Lisboa no dia 24 de Abril de 1950.

Autoria: Plano Nacional de Leitura