A Guarda e a República no Quartel do Carmo até dia 4 de Maio

Data de publicação: 
19.04.2010

A Guarda e a República no Quartel do Carmo até dia 4 de Maio

A primeira medalha olímpica portuguesa, na modalidade de hipismo e atribuída em 1924, nos Jogos Olímpicos de Paris, é um dos objectos que podem ser vistos na exposição “A Guarda e a República”, inaugurada dia 17 de Abril pelo ministro da Administração Interna, no Quartel do Carmo.

Essa medalha, atribuída a uma equipa de hipismo portuguesa liderada por Manuel Latinos e da qual faziam parte Luis Margaride, Mouzinho de Albuquerque e Helder Martins, é uma das peças que fazem parte das “reservas do futuro Museu da Guarda”.
Na inauguração da exposição, que se integra nas comemorações do Centenário da República, o ministro da Administração Interna, Rui Pereira mostrou-se decidido a apoiar a criação do Museu da Guarda Nacional Republica no Convento do Carmo, onde a GNR está instalada desde 1911.

Dirigindo-se ao comandante geral da GNR, tenente -general Nelson Santos, o ministro Rui Pereira afirmou: ”Espero que ambos possamos acompanhar o arranque do Museu da Guarda Nacional Republicana”.

Esta afirmação surgiu na sequência de um pedido expresso pelo major Nuno Andrade, da Divisão de História e Cultura da Guarda e responsável pela mostra, que manifestara ao governante o desejo de que “a exposição se pudesse tornar permanente” e ser já um núcleo do futuro Museu da Guarda.

Nos claustros do Convento do Carmo pode ver-se uma evocação de um posto antigo da GNR enquanto na sala do capítulo estão patentes os primeiros actos solenes da Constituinte de 1911. Os preparativos para a implantação da República e uma evocação do herói da Rotunda, Machado Santos, constam de outras áreas expositivas, em que há também o recurso à interactividade e às novas tecnologias a que podem aceder os visitantes, respondendo a questionários sobre o período da República.

A Guarda Nacional Republicana é uma das primeiras instituições da República, tendo sido criada, com esta designação, em 1911. A instituição que a antecedera era a Guarda Municipal – descendente da Guarda Real de Polícia criada em 1801 que era responsável pela manutenção da ordem pública nas cidades de Lisboa e do Porto. Logo a seguir ao 5 de Outubro de 1910, a Guarda Municipal passou a designar-se Guarda Republicana, mas só no ano seguinte foi criada como uma instituição da República com capacidade para intervir em todo o território nacional.