Exposição: A República e a Modernidade

Data de publicação: 
06.11.2010

Exposição
A República e a Modernidade

Local: Ponta Delgada, Museu Carlos Machado
Inauguração: 5 de Novembro de 2010
Período de exibição: 6 de Novembro de 2010 a 28 de Fevereiro de 2011

Uma iniciativa da Direcção Regional de Cultura dos Açores e Museu Carlos Machado integrada nas comemorações do Centenário da República

Resumo:
O Museu Carlos Machado, no âmbito das comemorações do centenário da República Portuguesa promovidas pela Região Autónoma dos Açores, irá realizar a exposição A República e a Modernidade, que inaugurará a 5 de Novembro de 2010 e decorrerá até 28 de Fevereiro de 2011 no Núcleo de Santa Bárbara, em Ponta Delgada.

Aproveitando a coincidência da alteração do regime político e social em Portugal ocorrer num período de profundas mutações artísticas e culturais em toda a Europa, a exposição procurará relacionar as transformações representadas pela instauração da república em 1910 no contexto mais amplo das transformações fundadoras da modernidade. Reunindo quer obras de arte muito diferentes (pinturas, esculturas, fotografias, desenhos) quer objectos oriundos dos campos da ciência e da tecnologia, da cultura popular ou produzidos por culturas não europeias, pertencentes a diferentes colecções açorianas (Museu Carlos Machado, Museu de Angra do Heroísmo, Biblioteca Pública e Arquivo Regional de Ponta Delgada), a exposição A República e a Modernidade abarcará o período que decorre de 1900 a 1926, ano em que, na sequência do golpe de 28 de Maio, termina a Iª República portuguesa.

A exposição organizar-se-á em três núcleos, correspondentes a três conceitos chave - revelar, renovar e regressar - e a três figuras tutelares: Francisco Afonso de Chaves (1857-1926), Ernesto Canto da Maya (1890-1981) e Domingos Rebelo (1891-1975). Em cada núcleo, algumas das obras que expressam o seu conceito chave serão confrontadas com outras com as quais, directa ou indirectamente, estabelecem relações visuais, temáticas ou estéticas, permitindo desse modo alargar a sua compreensão e, ao mesmo tempo, tecer ligações entre as diferentes áreas da exposição. Neste sentido, a exposição A República e a Modernidade será também uma homenagem ao espírito e à história do Museu Carlos Machado que em 1912-13, no âmbito da política cultural da República, deu início às suas colecções de arte e de etnografia regional, as quais se juntaram às já existentes de história natural e de etnografia africana.

Mais informações em: http://museucarlosmachado.azores.gov.pt