Exposição: A República foi ao Teatro

Data de publicação: 
26.02.2011

Exposição
A República foi ao Teatro

Local: Lisboa, Museu Nacional do Teatro
Inauguração: 25 de Novembro, 18h00
Período de exibição: 25 de Novembro de 2010 a 29 de Maio de 2011
Horários: 4ª Feira a Domingo, das 10h-18h. 3ª Feira, das 14h-18h. Encerra à 2ª Feira.

Uma iniciativa do Museu Nacional do Teatro/IMC com o apoio da Comissão Nacional para as Comemorações do Centenário da República

Resumo: Em 1910, o Teatro era o centro de toda a actividade cultural, artística e lúdica da sociedade portuguesa e europeia. As artes do palco, do teatro de revista ao grande teatro lírico eram, ainda, a única “indústria do espectáculo” e de diversão “artística ou cultural” verdadeiramente existente (o cinema estava a dar os seus primeiros passos e os concertos de música ou os espectáculos de dança não tinham, ainda, a expressão que irão mais tarde atingir), nelas se reflectindo, directa e indirectamente, a vida social, as tensões e os problemas sociais, a intriga e o combate político e, até, a vida amorosa, mais ou menos clandestina.

Basta ler Eça, Ramalho ou Trindade Coelho para facilmente se entender tudo isto, bem como desfolhar algumas das magnificas publicações periódicas dessa época e contemporânea de uma geração notável de desenhadores/caricaturistas, como Bordalo ou Leal da Câmara.

A título de exemplo, numa “Ilustração Portuguesa” de 1913, pode ler-se:    “ O lisboeta tem dois grandes vícios: a política e o teatro. Na política, como espectador, uma aspiração permanentemente o agita: a queda do governo, seja qual for o governo. No teatro, como público, um desejo surdo o anima sempre: a queda da peça, seja qual for a peça.” 

Por outro lado, os momentos históricos de grande tensão social ou de ruptura política são, quase sempre, propícios ao aparecimento de vanguardas estéticas e de movimentos de renovação e modernidade, sendo o teatro o terreno artístico ideal para esta renovação.

Terá sido assim com os primeiros anos da República ou, pelo contrário, esta mudança de regime não produziu alterações estruturais e estéticas imediatas no meio teatral português?

É exactamente este ambiente teatral (e social, estético e politico), muito característico da Lisboa primo - republicana, que se pretende retratar e evocar através desta Exposição.

Visitas guiadas todos os dias, às 11h. e  às 15h30, para grupos entre 8 e 20 visitantes.
Contactos para marcação: 217 567 415 ou 217 567 418.

Participe nos Repórteres da República:
reporteres republica

Mais informações: http://www.museudoteatro-ipmuseus.pt/