Exposição: Res Publica 1910 e 2010 Face a Face

Data de publicação: 
08.10.2010

Res Publica 1910 e 2010 Face a Face

Há dois tempos que se confrontam na exposição “Res Publica 1910 e 2010 Face a Face” ontem inaugurada na Fundação Calouste Gulbenkian: aquele em que surgiu a I República, no início do século XX e a actualidade.

Nesta exposição, que resulta de uma proposta apresentada pela Comissão Nacional para as Comemorações do Centenário da República à Fundação Calouste Gulbenkian, reúnem-se mais de 500 obras de 67 artistas nacionais e estrangeiros.

Ali se podem encontrar obras do início do século XX de Columbano Bordalo Pinheiro, Rafael Bordalo Pinheiro, José Malhoa, Carlos Reis, Christiano Cruz, Eduardo Viana, Dórdio Gomes, Joshua Benoliel , Jorge Pinheiro e José de Brito mas também obras contemporâneas de André Carrilho, António Marques, Joana Vasconcelos, Cristina Sampaio, João Pedro Vale, Inês Gonçalves, Luisa Ferreira, João Fazenda, Francisco Vidal, Bruce Nauman, Cristina Lucas, Paulo Catrica, Pedro Gomes, Pamela Golden, Bruno Pacheco, Ana Mata, entre muitos outros artistas.

Pintura, escultura, cerâmica, ilustração, fotografia, desenho, desenho e vídeo são as expressões artísticas que a exposição coloca face a face, com o objectivo de proporcionar uma reflexão sobre a noção de res publica.

Há nesta mostra sete grandes núcleos : “Ideal Nacionalista e Republicano”, “Atmosfera Social”, “O homem Novo”, “Mundo Laico e Religisoso”, “Figuras da Liberdade e Avatares de Violência”, “Espaço Público e Privado” e “A Afirmação da Consciência num Mundo por Devir”.

A par da exposição, que ficará patente até 16 de Janeiro de 2011, haverá um ciclo de conferências, intitulado “A República por Vir: Arte, Política e Pensamento para o Século XXI”, entre outras actividades e visitas temáticas, cuja programação pode ser conhecida em www.descobrir@gulbenkian.pt.