25 de Julho de 1911 - Exposição de Leal da Câmara

Data de publicação: 
25.07.2011

25 de Julho de 1911 - Exposição de Leal da Câmara

Relata o jornal O Século: “O notável humorista Leal da Câmara teve ontem uma consagração no Salão do teatro Nacional, com a enorme e selecta concorrência que ali foi apreciar as suas produções, apreciação que se tornou entusiasmo e admiração, tal é o valor da obra exposta.

AS criações de Leal da Câmara ocupam todas as paredes do vasto salão, em número de 64.

São sessenta e quatro obras primas, sendo difícil a escolha e muito mais difícil traduzir a impressão recolhida, tanto o talento e a técnica impecável nos enchem de sensações perturbadoras.

Há ali documentos das várias aptidões do artista: traços rápidos comentando flagrantemente caracteres, manchas policrómicas associando-se sabiamente para a expressão perfeita dos tipos, e até tintas admiráveis e vigorosas para realizar a paisagem, como o está a demonstrar a maravilhosa criação: o paul de Villebon.

A fecunda imaginativa de Leal da Câmara e o espírito cáustico nada perdem deste caleidoscópio da vida. Tudo lhes serve para comentar e fazer latejar numa orgia empolgante de cor, de imprevisto, de picante ridículo e crua verdade.

A política, o clericalismo, a arte, os vícios, as vaidades, os acasos da rua e as intimidades, tudo a sua retina precisa e sensível surpreende na atitude e expressão mais característica para sublinhar com o seu lápis raro e mordente.

A linha da vida acha-a Leal da Câmara com a espontaneidade dos artistas eméritos, como foi em Portugal Bordalo Pinheiro, de modo que num ligeiro traço consegue elevar-se a verdadeiras expressões psicológicas. (…)”

Fonte: O Século n.º 10639, 25 de Julho de 1911, p.1